sábado, 7 de fevereiro de 2015

Valis Review


Uma coisa que inevitavelmente os jogadores fazem é julgar um jogo pela capa, não para dizer se ele é bom ou ruim, mas para tentar predizer o estilo de jogo que tem em mãos.  Valis é um jogo que tem o nome e a cara de um RPG, no entanto, trata-se de um jogo de ação e plataforma, mas até o jogo começar você não vai ter nenhuma pista disso.


O jogo começa com uma cena que mostra a motivação inicial da trama, portanto, se você cortá-la vai perder boa parte do enredo. Essa cena é exibida antes da tela principal do jogo, então quem apertar o start para jogar o mais rápido possível não vai conhecer o começo da história, e essa é uma característica de todos os jogos da série, o que significa que para entender todos os eventos da saga, jogar é a parte menos importante, mas não me entenda mal, o jogo em si é muito divertido, porém, ter uma história bem contada dentro do jogo era algo incomum na época, o mais comum seria recorrer aos manuais para ter uma compreensão completa.

Yuko é a protagonista da trilogia inicial, em seus sonhos ela tem ouvido uma voz chamá-la, achando que isso não tem significado algum ela segue seus dias normalmente, até que uma tarde chuvosa lhe chama a atenção, pois um dia claro se tornou chuvoso muito repentinamente. Quando a chuva estiou, Reiko, uma colega de escola, surgiu para se despedir, se expressando de forma enigmática ela deixa Yuko confusa, porém um monstro surge do chão e a ataca antes que ela possa entender o que houve, e encurralada pelo monstro ela grita por socorro, e a ajuda então vem do céu em forma de espada, e com essa espada em mãos o jogo começa.
Mais tarde é revelado o motivo do ataque. O imperador do Dark World, Rogles está usando um poder chamado Vecanta para desequilibrar o bem e o mal nas pessoas, o que lhe permitiria invadir todos os mundos e conquistá-los, para garantir que nada o atrapalhe ele selou o poder do bem em uma pedra chamada Phatasm Jewel e a quebrou, os pedaços da pedra ficaram em mãos dos seus cinco subordinados no Under World, e a missão de Yuko é então recuperar a joia afim de acumular poder o bastante para derrotar o vilão do game.

Os controles do jogo são relativamente simples, o botão A faz um escorregão, é um movimento rápido que permite desviar dos ataques inimigo com alguma facilidade, o botão B faz o ataque padrão com a espada, você pode também atacar agachado ou usar magias ao pressionar  ↑+B, mas antes de explicar como isso funciona vamos ao botão C, que serve para pulos, ↑+C faz um pulo mais alto , e ↓+C desce de plataformas.
 Os gráficos parecem muito simples a princípio, o que é natural considerando que o jogo é de 1991. Apesar disso há alguns pontos que se destacam, a aplicação perspectivas diferentes nos elementos do cenário rendem  um excelente efeito de profundidade, o que dá uma percepção de vastidão nas fases, algo que faz todo sentido, pois o que é feito no jogo é a exploração de um novo mundo. O capricho em determinados sprites chega a impressionar, a luta contra Voldes, o quinto chefe, é de uma beleza absurda, e as cutscenes do jogo, apesar de conter poucos movimentos, são belíssimas e muito bem utilizadas.

A trilha sonora é outro item que merece destaque. Aqui é seguido um padrão utilizado por incontáveis jogos, cada fase possui uma trilha sonora própria, mas toda luta contra chefes tem a mesma música, e elas cumprem muito bem seu papel seu papel, dão um tom capaz de mudar sua postura em relação ao jogo, na primeira fase por exemplo, toca uma música muito animada que faz querer ter mais inimigos na fase para derrotar, enquanto na segunda fase, uma música com um tom mais sério tende a tornar a exploração do cenário mais lenta e cuidadosa, já os sons de efeito por outro lado, apesar de serem bem aplicados, são bastante genéricos.

A complexidade do jogo começa nos itens disponíveis, são eles:
  • Bullets, ataque de força média que dispara um projétil nos inimigos.
  • Lasers, ataque de força alta que dispara um laser de curto alcance nos inimigos.
  • Arrows, ataque de força baixa que dispara flechas que caçam os inimigos.
  • Cutter, ataque de forca média que dispara lâminas nos inimigos.
  • Grenades, ataque de forca alta que dispara granadas de médio alcance nos inimigos.
Cada um desses ataque tem três níveis de força, quando você encontra um desses itens de ataque na fase deve  coletar mais dois iguais para alcançar o nível máximo dele, é possível que exista mais de um item de ataque diferente na mesma fase, e se você coletar um item diferente seu ataque será de nível um.
Vale lembrar que a escolha do melhor item de ataque é importantíssimo para derrotar os chefes sem maiores dificuldades, em alguns casos o item que primeiro aparece a fase é o melhor, mas como existem exceções vou citar junto comas caraterísticas do chefe a arma que uso para derrotá-lo.

Os demais itens  não são nenhuma surpresa, temos itens de recarregar vida pequeno e grande, item de recarregar magia  pequeno e grande e vida extra.

Já as magias do jogo se apresentam de uma forma não muito original, de fato ela funciona de modo muito parecido com o que temos em Mega Man , pois ao derrotar o chefe de uma fase podemos então usar o poder especial desse chefe. Cada magia tem um consumo de MP diferente mas todas compartilham a mesma barra de MP e essa barra só pode ser recuperada com os itens espalhados pelas fases, portanto devem ser usadas com algum cuidado. Vamos aos chefes:

Gyeda, o Senhor da terra. Ele atira pedras em sua direção, se movimenta rolando e é capaz de causar terremotos, por ser o primeiro chefe do jogo ainda não temos magia para enfrentá-lo, então basta desviar de seus ataques e atacar o mais rápido possível, ao derrotá-lo conseguimos a magia Eatrhquake, que causa dano em todos os inimigos na tela.

Geeva, o Senhor da água. Ele sobrevoa a tela e ataca exclusivamente com penas de Gelo, A arma que melhor funciona contra ele é o Bullets pois no nível 3 ele gera um ataque diagonal eficaz, as penas de gelo podem ser anuladas com a magia Eathquake, ao derrotá-lo conseguimos a magia Ice Feather, que ataca em 8 direções.

Venon, O Senhor do fogo. Ele ataca com voadoras, atira fogo em sua direção e se protrge com um círulo de fogo que causa dano se te tocar. Ele passa muito tempo no chão, por isso o ataque Lasers é muito eficaz e as magias Earthquake ou Ice Feather podem ser usadas para ajudar no ataque, ao derrotá-lo conseguimos a magia Flame Ring, que no envolve em um anel de fogo que protege de ataque inimigos e causa dano em inimigos próximos.

Izard, O senhor dos Ventos. Ele flutua na fase e lança tornados, é capaz de criar um campo de proteção e lança bumerangues quando desce ao solo, para derrotá-lo é vital decorar seu padrão de ataque e chegar com a barra de magia cheia, a melhor arma contra ele é o arrows e a magia aser usada deve ser Flame Ring, nessas condições é possível atacá-lo com facilidade no ar e a magia deixará 2 MP restantes isso é importante pois no memento de lançar a magia Yuko fica invulnerável mas elasó tenta lançar se tiver MP disponível e ao decorar o padrão de Izard você pode usar isso para desviar de seus ataques, o fim do post tem um gameplay que mostra essa estratégia lá pelos 30 min. Ao derrotá-lo conseguimos a magia Tornado

Voldes, o Senhor do Trovão. Ele atira bolas de energia e se movimenta muito rápido e dificilmente entra no seu raio de alcance além de lançar uma série de trovões dificil de desviar, um bom ataque contra ele é o Arrows pois garante uma boa taxa de acertos, magia não faz tanta diferença, mas o Earthquake e o Fire Ring podem parar seus ataques e portanto são boas escolhas. Ao derrotá-lo conseguinos a magia Thunder, que ataca todos os inimigos na tela com grande poder.

Reiko Kirishima, soldado das trevas. Ela tem movimentos idênticos aos de Yuko e ataca com o Cutters nível 2 e lança uma luz que causa um enorme dano, a melhor arma contra ela é o Cutters nível 3 e a melhor magia o Flame Ring, a luta contra ela deve ser de perto para poder acertar o ataque vertical e horizontal do Cutters. Ao derrotá-la conseguimos a magia Death Flash, que mata todos os inimigos da fase com excessão do chefe

Até aqui cada chefe deixa um pedaço da Phantasm Jewel quando é derrotado e, apesar de não haver algum indício dentro do jogo que confirme isso, o mais provável é que esses fragmentos coletados nos permita usar a magia, e muito provavelmente a mesma regra funciona para os chefes.
Rogles, Rei dos Senhores das Trevas. a batalha com o Rei do Dark World tem duas fases na primeira ele flutua lentamente pela tela e ataca com um dragão de fogo, as segunda fase ele fica mais rápido e atira bolas de energia e às vezes desce ao chão para lançar um ataque direto, contra ele a melhor arma é o arrows e a magia não faz tanta diferença, mesmo assim prefiro usar o Giga Thunder, mas apenas na segunda fase da luta.

Se alguém preferir quiser ver como tudo que foi mencionado funciona na prática, pode assistir o longplay que fiz logo abaixo, pode baixar a ROM do jogo e jogar no emulador de sua preferência ou jogar pelo navegador, para isso basta ter o Flash Player instalado.





Nenhum comentário:

Postar um comentário