terça-feira, 15 de julho de 2014

Pier Solar HD: Entrevista Com os Criadores


 Pier Solar é nada menos que o maior jogo de Mega Drive já feito, o cartucho de 64 Megabit contém um dos melhores jogos já criados para o sistema. Até agora, poucos tiveram a chance de adquirir esse excelente RPG, mas o lançamento da versão HD deve mudar esse cenário, o desenvolvimento está nos estágios finais, e a data de lançamento deve ser anunciada em breve, além disso um novo lote de cartuchos da versão original deve ser produzido em breve.

 Mesmo trabalhando arduamente para o lançamento, o pessoal da Watermelon encontrou um espaço em sua agenda para falar com  equipe GamesMax sobre sua criação, confira o que foi discutido.




GamesMax: Há 10 anos foi iniciado o desenvolvimento do Pier Solar, o que motivou a equipe a iniciar esse projeto?

Watermelon: A maior motivação do grupo inicial do projeto original do Pier Solar veio da própria equipe de desenvolvimento. Todos os membros se conheceram em um fórum de fãs do Mega Drive e compartilhavam a mesma paixão por RPGs. Quando percebemos que a nossa idéia já tinha começado a tomar a proporção de um projeto com grande potencial de concretização, colocamos todas as nossas energias nisso. 

GM: O projeto inicial demorou quase seis anos para ser concluído, em algum momento a equipe pensou em desistir?

WM: Não, nunca pensamos em desistir. Conseguir conciliar as agendas de todos os membros era uma tarefa muito complicada, primeiro porque todos nós entramos nele voluntariamente, ou seja, ninguém tinha condições de abandonar o emprego e se dedicar integralmente ao desenvolvimento do jogo. Além disso, o grupo sempre esteve espalhado aos quatro cantos do mundo. Os fusos nem sempre cooperavam com a nossa necessidade de comunicação, o que atrasou muito as decisões necessárias durante todo o processo. Mas com o tempo nós fomos conhecendo o potencial de cada integrante do grupo, e tendo mais certeza de que nosso sonho tinha grandes chances de se realizar, portanto não desistimos. Houveram inúmeras mudanças no desenvolvimento do jogo no decorrer daqueles longos seis anos, mas em momento algum pensamos em abandoná-lo. 

GM: Acredito que grande parte, ou todos, que participaram da produção do jogo eram gamers na infância. Durante o processo de criação aconteceram alguns momentos nostalgia onde todo mundo relembrou de jogo que adorava?

WM: Completamente! Este, na verdade, foi um dos fatores chave durante o desenvolvimento todo! Nós gostamos de descrever o Pier Solar como um “tributo” aos RPGs dos anos 90, que marcaram a nossa infância. Não somente nas nossas conversas a respeito dos RPGs que nós jogávamos quando crianças, mas também fizemos questão de incluir ao Pier Solar elementos inspirados nestes RPGs, para que também outros jogadores pudessem compartilhar desse espírito nostálgico quando estivessem jogando o Pier Solar. 

GM: Inicialmente a história do jogo era baseada nos membros da comunidade onde o jogo nasceu “The Tavern”. De onde vieram os atuais personagens e o enredo do jogo?

WM: Na verdade quando a história foi re-estruturada, foram criados personagens novos e completamente fictícios. Embora exista uma inspiração em termos de quais papéis cada personagens fazem basiadas em alguns clichés de RPG, mas a história em si, quando foi concebida, foi intencionalmente espelhada em clichés dos antigos RPGs. 

GM: Como o cartucho e o CD se complementam no Mega Drive?

WM: A trilha sonora do jogo é muito elaborada, criativa e agradável, na verdade ela é um dos elementos mais elogiados no Pier Solar. Por conta disso nós criamos o OST (Original Sound Track), que é uma coleção com 4 CDs que podem ser usados no Sega CD para melhorar ainda mais a experiência do jogador com o audio oferecido. Ambos podem ser utilizados juntos ou não. Os fãs do Pier Solar podem escutar o OST em qualquer aparelho de som até quando não estiver jogando!

GM: Diferente da versão de Mega Drive, o Pier Solar HD teve um financiamento obtido via Kickstarter. Estar tão próximo dos seus financiadores, que logo serão o público, acarreta mais responsabilidades ?

WM: De certa forma. A verdade é que a responsabilidade maior está na comunicação com nossos backers (investidores no Kickstarter). Nós tomamos a responsabilidade de lançar um jogo de alta qualidade para todos os nossos clientes, a começar pelos backers. Porém, é uma responsabilidade geral, não somente por causa do Kickstarter. Nossa relação com os backers é mais delicada porque nós temos que lidar com uma comunidade de mais de 3.000 pessoas que aguardam ansiosamente pelo lançamento do PSHD. A grande maiora dos backers tem sido extremamente compreensiva, nos dando apoio para que o jogo saia o mais polido possível. Nós somos muito gratos a todos os que nos apoiaram através do Kickstarter e tornaram o projeto PSHD uma realidade. 

GM: Afinal, em quais consoles vamos ver o Pier Solar HD? Algum portátil na lista?

WM: O Pier Solar HD estará disponível nas seguintes plataformas: Sega Dreamcast, PS3, PS4, Wii U, Xbox One, PC, Linux, MAC, OUYA e Android.

GM: É complicado portar o jogo para as mais diversas plataformas? Que obstáculos a equipe enfrentou?

WM: A parte complicada é a de familiarizar com os consoles pela primeira vez, então há um processo, uma curva de aprendizado em relação a como o console se comporta, etc. Este seria o maior obstáculo. A parte mais complicada é a preparação para a certificação de cada console, que muda de Sistema para sistema, porque a engine do jogo é a mesma para todos os consoles, mas a burocracia é um pouco diferente.

GM: A nova versão em HD traz algo diferente daquela lançada para o Mega Drive?

WM: Sim! A versão HD trás cerca de 10 horas a mais de conteúdo, incluindo partes do enredo que foram desenvolvidas e reveladas, novas batalhas, novos side quests, e uma opção a mais para o final do jogo que está imperdível!

GM: Foi difícil lidar com grandes empresas como a Microsoft, Nintendo, e a Sony na questão de licenciamento? E a versão de Dreamcast pôde ser licenciada pela Sega?

WM: Esta é uma pergunta bem ampla, e se nós fossemos explicar todos os casos – que são muito diferentes uns dos outros – poderíamos quem sabe escrever um livro! (risos). Em suma, podemos dizer que ficamos surpresos com a resposta de todas estas corporações. A Nintendo tem sido espetacular desde o primeiro dia de contato, nos abriu inúmeras portas (como os convites para grandes eventos de game, como a E3 e a IndieCade), sempre com muita flexibilidade e facilidade na comunicação, nas negociações, enfim, tem sido um processo extremamente claro, o que nos poupou de muitos aborrecimentos burocráticos. A Sony e a Sega também facilitaram o processo de licenciamento, portanto não houve nenhum obstáculo maior. Já a Microsoft nos deu um pouco de canseira (risos). Foi, de todas as empresas, a mais “inalcançável” em termos de comunicação. Isso foi também surpreendente, mas tudo foi resolvido e a negociação segue fluindo no momento. 

GM: Depois de ser adiado algumas vezes, os jogadores certamente esperam por um jogo que não seja só satisfatório. Na sua opinião, o Pier Solar que está por vir vai compensar os mais de 6 meses de atraso?

WM: Sim, absolutamente! O jogo está sencacional! Nós estamos trabalhando nos beta tests e estamos muito felizes e orgulhosos do PSHD. Estamos consertando bugs e integrando muitas melhorias aos gráficos, mas estamos muito satisfeitos com a maneira que o jogo foi conduzido até aqui. Nós esperamos, de coração, que o atraso e a ansiedade sejam recompensados com a qualidade e particularidade do PSHD!

GM: Como será feita a distribuição do jogo? Alguma plataforma além do Dreamcast contará com mídia física?

WM: O jogo será distribuído através do eShop da Nintendo, PSN da Sony, STEAM e Xbox Live. Além do Dreamcast, o jogo também terá uma versão física para PC.

GM: Em fóruns e blogs, há muitos comentários de jogadores comparando Pier Solar a jogos consagrados como Chrono Trigger, Lunar e Phantasy Star. Como a equipe vê esse tipo de análise?

WM: Como mencionei anteriormente, o Pier Solar foi criado como um tributo à estes grandes RPGs da década de 90, então é uma comparação que pode ser justa, se feita do princípio de que o nosso jogo segue uma linha de RPGs que já existia, com características e mecânicas que fazem parte de um mesmo grupo. O Pier Solar é um jogo 100% original, enredo, programação, gráficos, até os cartuchos e as embalagens, tudo foi feito de uma maneira genuína, pensada, planejada, mas que remetem aos clássicos de RPGs da década de 90. 

GM: O Pier Solar mostra que nem só de gráficos realistas vive um jogo. Em sua visão, a preocupação exagerada com gráficos deturpou a finalidade dos jogos atuais que são mais ‘belos’ do que ‘funcionais’ ?


WM: Honestamente, acredito que isso depende muito de pessoa para pessoa. Se o Mercado se expandiu, isso significa que existe espaço para todos os gostos e todas as finalidades. Algumas pessoas são atraídas pela qualidade gráfica realista do jogo “X”, outras pela simplicidade viciante do jogo “Y”, outras pela funcionalidade do jogo “Z”. Nós devemos ter em mente de que a gama de jogadores de hoje é bem diferente da de duas décadas atrás. Em termos de idade, gostos, e até mesmo culturalmente, tudo mudou muito. Se a Nintendo conseguiu reinventar com o Wii o “ato de jogar video game”, fazendo com que as pessoas se movimentem enquanto jogam, podemos esperar qualquer coisa, não é verdade? A evolução dos gráficos é um acontecimento muito legal e necessário. Dessa forma, o próprio Pier Solar revela um potencial incrível, inovando com o velho e o novo. Parece loucura, e talvez seja, mas definitivamente tem dado certo.

GM: Como gamer, você acha que a primeira tiragem (limitada) do jogo, é um item essencial para um colecionador?
WM: Sim, eu acredito que sim. Um RPG inédito para o Mega Drive depois de duas décadas é algo tão inacreditável que a primeira tiragem pode sim ser considerada um ítem essencial para um colecionador. É quase surreal...

GM: Para finalizar, certamente o trabalho não acaba com o lançamento do PSHD, quais são os planos para o futuro?

WM: Nós estamos prestes a lançar mais dois jogos retro, um para o Mega Drive e outro para o Super Nintendo, são temporariamente conhecidos como Projeto Y e Projeto N, respectivamente (os nomes oficiais ainda não foram anunciados). Além destes dois super projetos, nós temos mais outros dois que estão sendo guardados sob sigilo, mas serão duas surpresas inacreditáveis aos jogadores.


Se você quiser conhecer o Pier Solar poderá encontrar a versão beta do jogo para download, assim poderá rodá-lo em um emulador de Mega Drive, é possível também jogar em um emulador online, basta ter instalado o Adobe Flash Player, e quem pretende jogar no Dreamcast, PC ou Mega Drive pode fazer a pré-compra da versão que preferir.

Nenhum comentário:

Postar um comentário